O óleo de dendê (ou óleo de palma) é uma commodity que tem larga aplicação industrial e é o principal óleo comercializado no mundo. Ele é produzido tradicionalmente a partir de cultivos de dendê (Elaeis guineensis) em monocultura. Como uma proposta de inovação sustentável na cadeia produtiva dessa commodity, a Natura e seus parceiros Cooperativa Agrícola Mista de Tomé-Açu (CAMTA) e Embrapa (CPATU e CPAA) uniram conhecimentos e expertises para estudar sistemas agroflorestais com dendê, apoiados inicialmente pela FINEP. No sistema agroflorestal biodiverso (dendê, cacau, açaí, espécies madeireiras, adubadeiras e outras), conhecido como SAF Dendê, fruto dessa iniciativa de pesquisa, foi possível observar, ao longo de quase 10 anos, impactos positivos sob diferentes serviços ecossistêmicos, em diferentes escalas, beneficiando as relações entre os componentes biológicos, o meio físico e o antrópico. No período de 2017 a 2020, o Projeto SAF Dendê executou uma segunda fase, apoiada pela agência de fomento USAID e com a integração de um novo parceiro de pesquisa, o Centro Internacional de Pesquisa Agroflorestal – ICRAF.

Nesta nova fase, o objetivo foi de promover a adoção de Sistemas Agroflorestais por meio do Projeto Diversificação do Dendê: conciliando meios de vida com conservação na produção de dendê, que é fruto de uma aliança entre CAMTA, Embrapa, ICRAF e Natura e conta com recursos da USAID/Global Development Alliance. O projeto buscou aumentar os benefícios socioambientais da cadeia de valor de dendê, de forma a fortalecer os meios de vida e reduzir o desmatamento e as pressões da degradação utilizando os sistemas agroflorestais. Para tal, foram realizadas atividades interconectadas de pesquisa, extensão e capacitação voltadas para o desenvolvimento participativo de opções tecnológicas de dendê diversificado adaptadas a diferentes contextos na região de Tomé Açu, nordeste Paraense. As pesquisas incluiram análises de trade-offs (custos/benefícios sociais, econômicos, ambientais e de gênero) de diferentes sistemas de produção, modelos de negócios e governança associados à produção de dendê.

Desenvolvimento de 2017 a 2020 da Unidade Demonstrativa (UD) 05 do Sr. José Paixão na região da Forquilha em Tomé-Açú Pará, Brasil. Fotos: Jimi Amaral.
Atividades de Pesquisa-Ação: implantação de novas UDs


(Como chegamos lá)

PLANTSAFS

Insumos, mudas, estacas sementes, viveiros

Fazer juntos

Ganho de Escala

Uma história de Sucesso

SAF DENDÊ Transformando Vidas

Uma história de Sucesso

A abordagem técnica multidisciplinar e participativa investiu em inovação em três áreas principais: sistemas de produção, modelos de negócios e agregação de valor. Foram ampliadas as pesquisas em experimentos implantados pelos demais parceiros desde 2007 em Tomé Açu (18 ha) e implementada uma rede de novas unidades demonstrativas junto a agricultores familiares e empresas do setor com vistas ao desenvolvimento de opções agroflorestais e de governança para diversos contextos biofísicos e socioeconômicos.

As 15 novas Unidades Demonstrativas implantadas, com total de 30 hectares em monitoramento, serviram como multiplicadores das tecnologias e boas práticas e também como sítios para monitoramento e avaliação das inovações tecnológicas. Além de analisar indicadores no nível da parcela e propriedade, foram realizadas pesquisas no nível da paisagem mais ampla no que diz respeito à dinâmica de expansão do dendê e seus impactos na região. O conhecimento foi construído e gerido de forma participativa por meio da Plataforma de Co-Aprendizagem SAF Dendê. Ao envolver atores-chave do setor no projeto, espera-se influenciar práticas de agricultores e empresas e políticas relevantes para o setor.

1/2

1/1
Linha do Tempo (2017 a 2020) das Atividades do ICRAF no âmbito do Projeto SAF DENDÊ (USAID-CAMTA-Embrapa-ICRAF-Natura).
Ganho de escala: da análise de contexto, desenho colaborativo de SAF, implantação, assistência técnica (ATER), capacitações, intercâmbios ao estudo de caracterização dos SAF em Tomé-Açú.

© Desde 2019 por ICRAF Brasil.